Cintia Comelli

01 de setembro

SHAKE OU REFEIÇÃO?

Como nutricionista, defensora da alimentação que promove saúde, tenho me espantado com a grande quantidade de espaços – que se dizem de saúde – multiplicando e incentivando pessoas a substituírem seu almoço por um copo de shake, sem  entrar no mérito da questão marca. Pergunto-me o que leva alguém a beber seu almoço ao invés de comer comida de verdade. Ou melhor o que leva alguém a trocar um bom prato de comida por um copo do tal líquido? Até o mais simples restaurante a quilo, me parece mais digno que tomar shake, pelo menos ainda é comida, e não um pó batido com água ou leite. Mas é fato que mesmo com tantos malefícios, o tal shake virou uma febre com apelo para emagrecimento e praticidade para substituir refeições. A promessa de emagrecimento rápido, prático, sem sacrifício, o marketing, os carros adesivados, bótons com o número de quilogramas que a pessoa já perdeu  ou com aquela pergunta básica “quer perder peso? Pergunte-me como?”  sem dúvida o tornou um grande atrativo para fins estéticos e financeiros.  Mas vamos direto ao ponto, e relato aqui alguns aspectos porque a composição deste shake e usá-lo para substituir uma importante refeição  fazem mal a saúde e a longo prazo com certeza não irá transformar seu corpo muito menos deixar você saudável. Já existem vários estudos, publicados por centros de pesquisa de alguns países, comprovando efeito tóxico no fígado deste produto. Outro motivo importante para não tomar shake, sua composição tem como base proteína de soja; sabe-se que soja tem benefícios em muito pequenas quantidades, pois tem substâncias que prejudicam a tireóide, a digestão, o intestino, e está na lista dos alimentos com maior ação alérgica no organismo. Passando para um motivo um pouco mais grave, a soja é fonte de fitoestrógenos, isto é, substâncias da planta que funcionam como hormônio feminino no seu organismo; se você tem alguma tendência a problemas relacionados a excesso de hormônio, por exemplo uma tendência a câncer de mama e ovários, consumir shake rico em soja só vai expor você ainda mais a esse tipo de problema.  Mais um aspecto é o estufamento e dilatação do estômago: em um espaço saúde você chega a tomar em uma refeição 2 litros de líquidos, que vai com o tempo no sentido real da palavra esticando seu estômago, que fica maior, e quando você volta a comer comida, precisa de uma quantidade muito maior para se satisfazer, por isso é comum encontrar pessoas que tomam o shake, emagrecem e quando voltam a comer engordam mais quilos do que perderam. Mas se este shake tem tantos efeitos negativos no metabolismo por que emagrece? Emagrece – no início – não por que é bom, mas pelo simples fato de que na refeição com shake você reduz o consumo de calorias pela metade em comparação a uma refeição normal; com uso a longo prazo seu metabolismo fica lento, o organismo se acostuma, e você pode gastar uma nota tomando shake o dia inteiro que não resolve mais. Um último motivo para não consumir este produto: boca, língua e dentes existem para serem usados, para mastigar, sentir sabores e texturas, isto é fisiológico, natural do ser humano, ou seja beber shake ao invés de mastigar seu almoço é negar sua própria natureza. O efeito desta atitude, é que o centro da fome localizado no cérebro, precisa do estimulo da mastigação para sentir saciedade, resultado: depois de dias tomando shake, quando o individuo dá uma liberadinha na comida é capaz de comer quantidades apavorantes de comida. 

Mais do que isso prefiro pensar que aos poucos as pessoas irão rever esse conceito de “beber sua refeição” e voltar a comer comida de verdade, porque esta sim quando  EQUILIBRADA, FUNCIONAL, COM COMIDA DE VERDADE, proporciona saúde e emagrece.  Tenha a certeza, que fazendo boas escolhas, mastigar é bom, e você pode ter uma vida toda com o prazer de mastigar nas suas principais refeições e ter muita saúde e bem estar! 

615 pessoas gostaram deste conteúdo.

Gostei